sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Poesia: O que é Distinguir ? - Autor : Ruy da Penha Lôbo





I
O que é Distinguir?
É fazer a separação para os bons ensinamentos que ressaltaram.
II
O que é Distinguir?
É a concepção de um modelo continuo de esperança que conceitua a mudança.
III
O que é Distinguir?
É a definição de silêncio que organiza a mansidão.
IV
O que é Distinguir?
É o lugar primordial que traga a paz fundamental
V
O que é Distinguir?
É ir muito além é Jesus a principal demonstração que a alegria mutua está na humildade que educa.

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Poesia : O Sentido que Edifica - Autor : Ruy da Penha Lôbo









I
Edificar é solidificar norteando o pensamento para um pleno conhecimento.
II
Para um pleno conhecimento no superaltivo da história que se renova e consola.
III
No superlativo da história que se renova e consola no prisma da alegria que espalha a felicidade com toda a energia.
IV
Espalha a felicidade com toda energia o discurso da reflexão que remoela em paz e união.
V
Que remodela em paz e união é O Sentido que Edifica fortalecendo as bases do perdão para uma nobre conciliação.  

Poesia : A Linha que Traça - Autor : Ruy da Penha Lôbo









I
A linha é um ponto que liga ao outro uma realidade que constrói semelhanças e diferenças que se apresentam na consciência .
II
Que constrói semelhanças e diferenças que se apresentam na consciência  na singularidade da sugestão que modela a certeza com toda a realeza.
III
Que modela a certeza com toda a realeza para substituir um exemplo novo para agir.
IV
Um exemplo novo para agir na moderação que reitera na simplicidade então;
V
Que reitera na simplicidade então é A Linha que traça traçando o destino  que definira algo bom que vai aprimorar.

Poesia : O Mar da Amizade - Autor : Ruy da Penha Lôbo




I
A amizade é o tesouro da esperança que faz da vida a irmandade que multiplica.
II
Que faz da vida a irmandade que multiplica a prosperidade da partilha em um conceito que ilumina
III
Em um conceito que ilumina o simples entender que neste mundo precisamos uns dos outros e isto que devemos crer.
IV
Precisamos uns dos outros e isto que devemos crer na exaltação serena que coordena  a situação substituir o egoísmo e o individualismo e configurar a realidade com a paz da harmonia que surgira a cada dia.
V
E configurar a realidade com a paz da harmonia que surgira a cada dia é O Mar da Amizade que deve se estender por outros condimentes para a vida compreender.  

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Poesia : A Participação que Assimila - Autor : Ruy da Penha Lôbo




I
Assimilar é perceber novos projetos de um perfeito entender.
II
Novos projetos de um perfeito entender na originalidade da ternura que sustenta a inovação de um sentimento que se coloca então.
III
De um sentimento que se coloca então na pureza da alegria que irradia e conquista.
IV
Na pureza da alegria que irradia e conquista na percepção que substituirá o egoísmo e prioriza algo bom e infinito.
V
Prioriza algo bom e infinito é A Participação que Assimila mostrando a caridade em suprema acolhida.

Poesia : A Percepção do Crer - Autor : Ruy da Penha Lôbo



I
A crença é a purificação do sentimento impuro em bondade e mansidão.
II
Do sentimento impuro em bondade e mansidão para solucionar o ideário revelador que se sustentara
III
O ideário revelador que se sustentara na amplitude do amanhecer para se crer que a vida é um belo compreender.
IV
Que a vida é um belo compreender na situação que mostre ao mundo toda a redenção.
V
Na situação que mostre ao mundo toda a redenção é A Percepção do Crer  para nortear os passos que iremos caminhar.